A desinformação precisa parar, isso depende de você

As Fake News hoje em dia oferecem um risco a saúde mundial. Na matéria de hoje vamos analisar o impacto que a desinformação causa na sociedade e por que devemos pará-las.

Índice interativo

Para falarmos sobre desinformação precisamos entender o que ela é. Muitos são seus nomes, notícias falsas, desinformação, informações falsas, mas o termo queridinho da mídia é Fake News. Basicamente ela se trata de mentiras divulgadas como verdades. Independentemente de como aparecem, em sites de notícias, posts nas Redes Sociais, textões de WhatsApp, imagens e até em áudios.

Quando navegamos pela internet ou ao lermos as mensagens do grupo da família no WhatsApp podemos nos deparar com manchetes, prints e áudios bombásticos.

Do que se trata a desinformação?

As Fake News começaram a ter uma grande notoriedade no campo político, especialmente nas eleições de 2016 nos Estados Unidos, na qual Donald Trump se elegeu presidente. Desde então as notícias falsas vêm ganhando destaque mundial. O termo Fake News caiu no gosto dos veículos de comunicação, assim popularizando-se. A ponto que países de língua não inglesa passaram a utilizar o termo. Após os acontecimentos de 2016, portas se abriram para análises de como a desinformação afeta áreas além da política.

Algumas perguntas ficam, como: Por que essas Fake News são criadas? E por quem?

Os motivos para que uma notícia falsa seja criada são diversos. Abaixo vamos pontuar os principais.

Quando um autor cria uma mensagem absurda ou até falsa, ele está buscando atrair ou manipular o público. Deturpando os fatos para favorecer seu ponto de vista e espalhar ódio.

As Redes Sociais são os principais canais de rotação de notícias falsas.

Existem grupos especializados em criar e disseminar desinformações. Eles criam perfis e páginas falsas em redes sociais, criando uma corrente de disparos em massa de links e manchetes que visam influenciar pessoas. E esse assunto acaba chegando até pessoas reais que compartilham ainda mais o conteúdo. E aí está, uma informação falsa viralizou.

Que resultados a desinformação causa?

Hoje em dia são tantos conteúdos espalhados pela internet que é difícil navegar sem se deparar com Fake News. Todo tipo de desinformação induz as pessoas ao erro.

No Brasil estamos vivenciando um momento crítico onde a desinformação está interferindo diretamente no controle de doenças. Muitas pessoas estão sendo encorajadas à não receber vacinas e não imunizar seus filhos. Isso resultou em uma alta queda na procura pela imunização, favorecendo o aumento de casos de doenças que já haviam deixado de ser um problema.

Quando falamos de saúde o compartilhamento de notícias falsas coloca em risco a saúde das pessoas. Em especial nesse momento de fragilidade em que vivemos. Com a pandemia do novo coronavírus um alerta é acesso às notícias, mensagens, áudios e vídeos falsos.

Como combater as Fake News?

“Não podemos ficar com os braços cruzados esperando que o governo tome uma medida, ou que as redes sociais se mobilizem para impedir a disseminação de notícias falsas.”

Existem maneiras de treinarmos nossa mente para identificar notícias falsas de longe, essa habilidade é indispensável para quem não deseja ser influenciado com o que vê na internet.

Desconfiar de notícias e checar se elas realmente são verdadeiras, dá um pouco de trabalho, mas vale a pena. Para que você não se torne um vetor de Fake News. Nesse título você vai aprender técnicas para identificar informações tendenciosas.

– Antes de compartilhar uma informação você deve entendê-la por completo. Ou seja, se for um texto, leia-o por completo, ouça o áudio inteiro, assista todo o vídeo.

– Não se engane com os títulos das notícias. Pois é muito comum que esses conteúdos falsos disponham de títulos sem relação ao conteúdo da notícia;

– Pesquise o título da matéria no Google e veja se outros veículos de comunicação também estão noticiando sobre o assunto;

– Desenvolva um senso crítico ao navegar pela internet, em outras palavras, tenha o hábito de desconfiar de tudo e sempre questionar o que está lendo. Essa matéria está mexendo com as minhas emoções e afetando meu julgamento?  Essa notícia quer me influenciar? Será que esse site só quer seus quinze minutos de fama?

– Uma matéria real sempre se baseia em fatos verdadeiros. Então nunca se esqueça de checar as fontes, e se questionar: Essas fontes são confiáveis? O site que está veiculando essa matéria é confiável? Outros veículos de comunicação estão pautando sobre o acontecimento?

– Quando um assunto é discutido geralmente ele já foi pauta em outras épocas, então se atende a data da notícia. Pois notícia desatualizada também é desinformação;

– Ficou com dúvida em relação aos fatos citados? Dá um Google e comprove-os;

– Recebeu um áudio duvidoso no WhatsApp? Pesquise seu conteúdo e assunto, se for um boato da sua cidade, pesquise nos portais de notícia da região ou pergunte para uma pessoa confiável sobre o assunto. Assim você sabe se a informação é verdadeira ou se é somente um aspirante a jornalista querendo atenção;

– E o mais importante não repasse ou compartilha informações sem ter certeza dos fatos.

Verificação de informações

Como vimos no título anterior existem várias maneiras de comprovar a veracidade de uma notícia, mas além disso existem sites e grupos de checagem especializados na verificação de informações, esses que apontam em conteúdos com grande difusão na internet o que é falso e o que não é.

Plataformas de checagem de fatos ajudam e muito para saber se uma informação é verdadeira ou falsa. Como as Fake News já se tornaram motivo de alerta mundial a checagem de fatos se tornou um nicho do jornalismo, como o jornalismo esportivo ou investigativo. Então muitos veículos somente se dedicam em averiguar informações. Abaixo você pode acompanhar esses sites:

g1.globo.com/fato-ou-fake

projetocomprova.com.br

apublica.org

aosfatos.org

boatos.org

e-farsas.com

Como pautamos nos títulos anteriores a desinformação em momento de pandemia é uma ameaça à saúde das pessoas. Hoje em dia circulam notícias, áudios e vídeos, afirmando métodos de tratamento da doença e até conteúdos que questionam a existência do vírus.

Vendo isso o Ministério da Saúde de forma inovadora abriu um canal de comunicação com a população, onde qualquer cidadão pode enviar gratuitamente mensagens via WhatsApp para o Ministério.

O projeto Saúde Sem Fake News recebe conteúdos suspeitos pelo número de WhatsApp (61) 99289-4640, checando a veracidade das informações.

Notas & Fontes:

Mundo Educação – Fake News [acesso: 20/01/21, às 13:32]

Educa mais Brasil – O que são Fake News? [acesso: 20/01/21, às 16:19]

BBC News Brasil – Sabe como identificar uma notícia falsa? [acesso: 20/01/21, às 16:47]

G1 – Fato ou Fake? Saiba como identificar se um conteúdo é falso [acesso: 21/01/21, às 10:26]

TechTudo – Como identificar fake news? Oito sites para checar se notícia é verdadeira [acesso: 20/01/21, às 11:11]

Ministério da Saúde – Fake News [acesso: 21/01/21, às 14:32]

Voltar ao Índice

Post anterior
A pandemia da covid-19 pode evoluir para uma endemia?
Próximo post
Envelhecimento saudável, o processo que precisamos garantir
Menu